Antigos Decanos

Veja aqui um mini perfil de todos os Decanos que já passaram pela direção do Centro de Tecnologia.

Walter Issamu Suemitsu

De julho de 2006 a julho de 2014 - Superintendente: Engº Hilton Ferreira Magalhães

 

Seu primeiro mandato como Decano se caracterizou pela implantação de um Planejamento Estratégico para o CT e outro para a Decania e por sua conduta tranquila e democrática como gestor. Para saber mais sobre suas realizações no primeiro mandato e seus planos no segundo mandato, veja sua entrevista aqui.

Claudio Luiz Baraúna Vieira

De janeiro de 1994 a março de 1998 e de julho de 2002 a julho de 2006 - Superintendente: Engº José Rechuan

 

Atuou como Decano do CT-UFRJ em dois mandatos. No primeiro deles, entre 1994 e 1998, priorizou obras de infraestrutura do prédio, com especial atenção para a cobertura do edifício; de melhorias dos laboratórios; e de informatização da Biblioteca Central. No seu segundo mandato, destacaram-se as medidas de restauração dos sistema elétrico do CT e o apoio à obras de laboratórios do porte do LabOceano e do LadEq, no âmbito administrativo, e, no âmbito acadêmico, o surgimento de novos cursos de engenharia como Petróleo, Meio Ambiente etc.

Oscar Acselrad

De março de 1998 a julho de 2002 - Superintendentes: Engº José Rechuan e Srª Liliane Soares Jordano

 

Durante o seu mandato como Decano encontrou dificuldades para realizar seus projetos devido à falta de apoio por parte da Reitoria naquela ocasião. Segundo suas próprias palavras tratou-se de um período conturbado dentro da Universidade. Mesmo assim, ele e sua equipe desenvolveram um projeto de criação de um Centro de Convenções no CT que pode ser um dia concretizado por futuras gestões.

Mario Fernando Petzhold

De janeiro de 1990 a janeiro de 1994 - Superintendentes: Profº Helmuth Gustavo Treitler e Profº Ismael da Silva Soares

 

Dentre as principais realizações vinculadas ao seu mandato, destaca-se entre, no âmbito educacional, a sua atuação junto ao Conselho Universitário em prol da criação dos cargos de Coordenação de Ensino, Pesquisa e Extensão. E, no âmbito administrativo, seu empenho em resolver as demandas de energia elétrica do Centro, além das demandas rotineiras de infraestrutura. As atividades culturais foram incentivadas ao longo de todo o mandato, com destaque para o festival Rosa de Hiroshima em homenagem a Vinícius de Moraes, por ocasião das comemorações que vinha ocorrendo em toda a cidade pelos 80 anos de vida do compositor.

Carlos Russo

De janeiro de 1986 a janeiro de 1990 - Superintendente: Profº Helmuth Gustavo Treitler

 

Seu mandato como Decano do CT-UFRJ ficou conhecido pelo esforço de regularizar o quadro discente, a partir do mote "a universidade é pública, mas não é gratuita", que acarretou no jubilamento dos estudantes que não cumpriram suas obrigações acadêmicas dentro do período estipulado por lei. Sob o ponto de vista cultural, sua decania contou com o apoio financeiro de instituições sólidas na época que propiciaram manutenção dos programas 3as Teatrais, 4as Culturais e 5as Musicais, além da implantação das jornadas de iniciação científica e artística.

Amaranto Lopes Pereira

De janeiro de 1982 a janeiro de 1986 - Superintendentes: Profº Marcílio Nolding da Motta e Profº Helmuth Gustavo Treitler

 

Viveu o período de abertura do país no cargo de Decano do CT-UFRJ. Sua primeira realização foi a implantação do chamado "Escritório Técnico" e a redistribuição dos conduintes de água e energia do Centro para evitar sobrecargas. Com o fim da era ditatorial e, consequentemente, uma melhor distribuição dos recursos orçamentários nas Universidades Federais, pôde efetuar mudanças importantes no CT-UFRJ como, por exemplo, a transferência do laboratório de máquinas térmicas da Praça Tiradentes para ocampus da Cidade Universitária e a implantação do curso lato-senso, noturno, de engenharia industrial nocampus do Largo de São Francisco. Já no final do seu mandato, deu o pontapé inicial no processo de constituição da Biblioteca de Obras Raras, depois continuado com sucesso por seus sucessores.

Carlos Cosenza

De abril de 1978 a janeiro de1982 - Superintendentes: Sr. Luiz Carlos Couto e Sra. Dirley de Oliveira Gimenez

 

Seguindo uma filosofia de valorização do funcionário de suporte dentro da universidade, conquistou uma boa equipe de trabalho. Entre as principais realizações estão: o início da transferência dos laboratórios localizados no subsolo -"medida mais que necessária, em virtude da situação caótica que predominava no local após chuvas densas"; Em meio ao período militar, enfrentou desavenças com o governo, por ter permitido que Luis Carlos Prestes palestrasse aos alunos, mas, sua postura democrática, trouxe algumas realizações pessoais e a contrapartida de conseguir uma melhor integração entre as Unidades do Centro.

Afonso Henriques de Brito

De Outubro de 1969 a Abril de 1978 - Superintendente: Sr. Eduardo Egon Meyer

 

Como primeiro Decano do CT-UFRJ permaneceu no cargo por um período de 9 anos, durante o Governo Militar. Na ocasião, se iniciou o longo processo de transferência da Escola de Engenharia do campus do Largo de São Francisco para a Ilha do Fundão, atual Cidade Universitária. Acompanhou de perto a criação das demais Unidades, primeiro a COPPE, depois a Escola de Química e, por último o IMA, bem como as novas construções e reformas das instalações da UFRJ. Interveio, da forma que pôde, em prol da libertação de alguns alunos presos durante aquele conturbado período da história nacional.

Ações do documento

registrado em: