História

O Centro de Tecnologia é composto por duas Unidades e três órgãos suplementares. São eles, respectivamente: Escola Politécnica, Escola de Química; Coppe; IMA; e Nides. Algumas dessas instituições existiam desde antes da criação do Centro de Tecnologia. Conheça aqui um pouco mais da história deste Centro.

A Pré-História do CT

As unidades que hoje compõem o Centro de Tecnologia da UFRJ têm histórias e processos de formação próprios e já existiam antes da criação do Centro.

Escola Politécnica

Originada na Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, de 1792 sendo substituída pela Academia Real Militar em 1810 pelo Príncipe Regente - futuro Rei D. João VI. Em 1858, é criada a Escola Central destinada a estudantes civis e militares nos cursos de Ciências Matemáticas, Físicas e Naturais, Engenharia e Ciências Militares e Engenharia Civil. A Escola Polytechnica do Rio de Janeiro surge apenas em 1874 já com o ensino exclusivo da engenharia para alunos civis. Em 1986, incorporou o Instituto de Eletrotécnica, que havia sido criado em 1945, como Instituto Especializado Universidade do Brasil. Após a incorporação, transformou-se no Departamento de Engenharia Eletrotécnica.

Escola de Química

Com a criação da Escola Nacional de Química em 1933, subordinada à Diretoria Geral de Produção Mineral do Ministério da Agricultura, surge o Curso de Química Industrial e apenas em 1944 foi criado o Curso de Engenharia Química. Entretanto, podemos associar a origem da Escola de Química ao projeto de criação dos cursos de Química Industrial em fins de 1911, como o Curso de Química Industrial Agrícola na Escola Superior de Agricultura da Alameda São Boaventura, em Niterói.
> Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia: Em 1963, foi criado o primeiro programa de pós-graduação stricto-sensu no país - o Mestrado em Engenharia no Instituto de Química da UFRJ, com o financiamento do BNDE (Banco de Desenvolvimento Econômico do Ministério do Planejamento), marcando o início da criação de muitos outros cursos de pós-graduação em diversas áreas da Engenharia, o que deu origem à implantação da COPPE. Atualmente, a COPPE chama-se: Instituto Luiz Alberto Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia.
Instituto de Macromoléculas Profª. Eloísa Mano: Teve origem no Instituto de Química da UFRJ em 1968, quando foi criado o Grupo de Polímeros, um grupo de pesquisa sob a orientação da Profa. Eloísa Mano. Em 1972, com a criação do Núcleo Macromolecular, surge a necessidade de um novo prédio. Em 1976, inaugura-se o então Instituto de Macromoléculas, que em 1994 assume seu nome atual.

A Criação

Em 1967, com a edição de decretos-leis voltados para as instituições federais de ensino, inicia-se a Reforma Universitária. O Decreto nº. 60455-A, de 13 de março de 1967, aprovou o Plano de Reestruturação da UFRJ, ex-Universidade do Brasil.


O ponto alto da Reforma aconteceu com a edição da Lei 5.540/68 e do Decreto-lei 464/69 que vieram consolidar a reforma e ampliá-la para todos os sistemas de ensino.
Entre as características da Reforma Universitária de 1968, podemos destacar:
  1. O estabelecimento do Departamento como "a menor fração da estrutura universitária para todos os efeitos de organização administrativa, didático-científica e de distribuição de pessoal", compreendendo disciplinas afins.
  2. A extinção do sistema de cátedras, ocorrendo o desmembramento das unidades existentes em Institutos e Faculdades, com funções diferenciadas.
  3. O Decreto nº. 66.536, de 06 de maio de 1970, aprovou o Estatuto da UFRJ, que criava os Centros.
Nascia assim o Centro de Tecnologia.

Fatos históricos relevantes

Em 1970, foi criada a COPPETEC que operacionalizou a realização de aproximadamente 6.500 projetos tecnológicos.

Em 1973, foi inaugurada a Biblioteca Central, sendo a primeira biblioteca da Universidade a ter seus serviços automatizados.
Em 1977, foi inaugurado o Museu da Escola Politécnica em 1977, que conta com mais de 600 itens que retratam a Engenharia Nacional, sua trajetória e seu desenvolvimento científico e tecnológico. São documentos, fotografias, telas, mobiliários e instrumentos dos laboratórios remanescentes da época das antigas instituições de ensino de engenharia do país.
Em 1988, a Escola de Química criou seu Programa de Doutorado.
Em 1990, foi extinto o Núcleo de Ensaios de Metrologia.
Em 1993, a Escola de Química reestruturou seu Curso de Pós-graduação, ampliando-o para Mestrado e Doutorado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos.
Em 1998, foi reformada a Biblioteca Central. Atualmente, o acervo conta com mais de 69mil volumes de livros e 116 títulos de periódicos assinados.
Em 2000, a maior universidade pública federal do país, a Universidade Federal do Rio de Janeiro, adquiriu o direito de também se chamar Universidade do Brasil, numa homenagem ao seu primeiro nome.
Também em 2000, concretizou-se o Projeto I-2000, complexo de 50 laboratórios de alto padrão de qualidade. O maior da América Latina.
Em 2003, foi criado o Laboratório de Tecnologia Oceânica da COPPE, onde está instalado o maior e mais profundo tanque oceânico do mundo, que representa para o país a consolidação da sua liderança no desenvolvimento de tecnologia de exploração e produção de petróleo e gás em águas profundas.
Em 2013, foi aprovado pelo Conselho Universitário o Núcleo Interdisciplinar de Desenvolvimento Social (Nides), o terceiro órgão suplementar do Centro de Tecnologia. O Nides pretende nuclear iniciativas que se disponham a atuar pelo desenvolvimento da sociedade, atendendo às principais demandas colocadas por atores como governo, movimentos sociais ou organizações comunitárias.
registrado em:
« Setembro 2017 »
Setembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
Unidades

BOTAO_COPPEBOTAO_EPBOTAO_EQBOTAO_NIDES

Transparência no CT

Licitações

RSS FACEBOOK YOUTUBE